Maio 22 2014

Perguntas fatais em entrevistas

Published by at 13:06 under Carreira,Comportamento

por Flavia Pegorin
 

Entrevistas de emprego são  quase iguais aos concursos de Miss: sempre haverá um recrutador questionando sua história de vida, analisando sua postura e escutando cada resposta com ouvido clínico. E, como no concurso de Miss, se você disser algo inapropriado, é bem provável que a coroa da vitória e o buquê de flores cafona – ou, no caso, o crachá de contratado – vá parar em outras mãos.

Justamente por isso, Lily Zhang, uma pesquisadora e especialista em carreiras do MIT (Massachusetts Institute of Technology, nos EUA, uma das mais prestigiadas instituições de ensino do mundo), selecionou as quatro perguntas que provavelmente qualquer um de nós irá ouvir em uma entrevista algum dia. E o que  levar em consideração antes de responder.

“Chamadas para entrevistas deveriam vir com o alerta de que, assim que recebidas, elas vão transformar animação em desespero em pouco tempo”, brinca Lily.  Ela sabe o que diz: o sentimento de nervosismo ao ser convocado é comum e, assim, é fácil acabar dizendo uma bobagem na hora H. “Mas não se deve deixar o medo tomar conta”, ela diz. “Com um pouco de preparação, dá para ter certeza sobre o que responder e impressionar o entrevistador”. Essas são, segundo Lily, as perguntas mais comuns que surgem nas entrevistas – e os conselhos da especialista sobre o que dizer e matar a pau.

1. “Fale sobre você.”

Essa oportunidade tão boa de falar bastante sobre virtudes acaba sendo, para muita gente, uma bola fora. E Lily Zhang lembra: é uma das primeiras questões a serem feitas, claro. A parte confusa sobre isso é que não é um pedido para você falar sobre toda sua vida e obra, ok? O entrevistador, de fato, só quer saber por que você está interessado naquela vaga e o que te qualifica para ela. Então você pode estruturar uma resposta começando no presente, indo ao passado e finalizando com o futuro – usando o que está fazendo como profissional, o que já fez e o que pretende conquistar. Tenha em mente que é importante falar sobre as habilidades relevantes que você tenha para a determinada função que está se candidatando.

shutterstock_154030814 ok

2. “Qual é seu maior defeito?”

Curiosamente, essa não é uma “pegadinha”. O que o entrevistador quer mesmo perguntar é “eu prefiro contratar gente que tem clareza sobre suas habilidades e que procure melhorar, então me diz logo se você tem essa intenção” – mas perguntar sobre seu maior defeito é o modo que ele costuma usar para entrar no assunto. É certeza que muita gente tenta usar isso a favor e transformar o defeito em uma qualidade (como aquela besteira de “eu sou muito exigente comigo mesmo, mas é que eu sou muito perfeccionista”), mas não faça isso. Ninguém vai acreditar. E nem deve ser verdade mesmo. Em vez disso, fale de um defeito genuíno seu (sem culpar outros ou detalhar muito). E acrescente os passos que você deu para entender seu problema e resolvê-lo – e mencione se isso ainda está em progresso.

3. “Conte sobre alguma falha que você cometeu.”

De novo, seja honesto. Fale sobre um vacilo real, não sobre aquele B que você tirou em geografia no colégio… Sempre houve um momento em que qualquer um de nós atrasou uma tarefa além do prazo, teve um desentendimento com o superior ou fez uma bobagem quando era estagiário. Não precisa ser nada grande e grave, só mencione um episódio que mostre que você refletiu sobre o erro. O entrevistador com certeza não quer te ver chorar como naqueles programas vespertinos da TV; ele quer é saber como você se porta quando acontecem contratempos. Você pediu ajuda? Reconheceu o problema? E, muito importante, mostre o que você aprendeu quando tudo aconteceu.

4. “O que você pretende estar fazendo daqui cinco anos?”

Ou, em outras palavras, “por quanto tempo você pretende ficar aqui nessa empresa?”. Ou ainda “você valerá o nosso investimento?”. Eticamente, você não dirá que não pretende ficar na companhia para todo o sempre – porque provavelmente você não ficará mesmo. E qualquer outro pensamento que você tenha nesse sentido (como se transferir para uma empresa menor para poder crescer mais ou parar tudo para se dedicar a um MBA) não vai mesmo se alinhar com aquilo que o entrevistador espera saber. Tudo bem. Você ainda pode responder a questão e não mentir. Depois de saber qualificações e postura, entrevistadores querem mesmo é saber do impacto e dedicação que você terá enquanto estiver naquela empresa. Então traga para a mesa a sua vontade e animação sobre ser admitido. Conte sobre sua vontade de crescer lá dentro e trazer suas ideias para somar, adquirir mais responsabilidades e poder liderar projetos.

Uma dica final da especialista Lily Zhang: “a prática leva à perfeição, então lembre-se de pensar sobre essas questões e respondê-las em voz alta, diversas vezes, até ganhar confiança e convicção do que você dirá na entrevista”.

No responses yet

Trackback URI | Comments RSS

Leave a Reply